Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

D. Ciências da Saúde - 9. Ergonomia - 1. Ergonomia
DIAGNÓSTICO DE INDICADORES CRÍTICOS NO CONTEXTO DE TRABALHO DO SETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DE UMA INSTITUIÇÃO UNIVERSITÁRIA  
Luiza Ferreira Rezende de Medeiros 1
Sergio Henrique Barroca 1
Mário César Ferreira 1
Bruno Gouveia 1
1. Universidade de Brasília
INTRODUÇÃO:
As implicações impostas pelo mundo do trabalho são bastante nocivas à saúde física e psíquica dos trabalhadores, em especial, aos servidores de instituições de ensino superior públicas. A escassez de pessoal especializado causado pela carência de concursos públicos, a impossibilidade de contratação direta de novos servidores e a falta de estrutura física são elementos que corroboram para um quadro de precariedade nos serviços públicos ofertados. Neste sentido, a presente pesquisa objetivou a produção de um diagnóstico que contemplasse os principais indicadores críticos no setor de comunicação de uma organização universitária, cujas atribuições são coordenar, planejar, administrar e decidir todas as ações estratégicas de veiculação da comunicação ao público interno e externo da instituição. Os pressupostos metodológicos e epistemológicos que conduziram esta investigação estão estruturados na Ergonomia da Atividade, a qual analisa o contexto de trabalho à medida que envolve aspectos concretos da situação real de trabalho visando, predominantemente, identificar os indicadores críticos presentes no contexto de trabalho.
 
METODOLOGIA:
Os dados foram coletados por meio da técnica de grupo focal cujo pressuposto orienta-se pela discussão, análise e indicação de possíveis soluções para os problemas encontrados pelos participantes com o acompanhamento de observadores externos. O processo de intervenção consistiu em realizar uma análise prévia da demanda, seguida da sensibilização dos funcionários, utilização da técnica do grupo focal, anotações e registros fotográficos, validação dos resultados com os participantes e confecção do relatório final. Dois grupos focais foram montados, totalizando 34 participantes, os quais discutiram os problemas e apresentaram as soluções em 4 sessões com duração média de duas horas cada. Os observadores externos sistematizaram os dados sob a forma de quadros articulando-os, quando pertinente, com os registros fotográficos.
 
 
RESULTADOS:
Os resultados evidenciaram quatro indicadores críticos principais: (a) condições de trabalho precárias; (b) situação trabalhista irregular; (c) gestão ineficiente; e (d) desgaste nas relações sócio-profissionais. Em relação às condições de trabalho precárias constatou-se como problemas principais o espaço físico inadequado, a falta de mobiliário apropriado, o barulho excessivo e a falta de equipamentos de trabalho. Quanto à situação trabalhista irregular as principais queixas eram relativas à informalidade no contrato de trabalho e cumprimento parcial dos direitos trabalhistas. A gestão ineficiente foi expressa por pouca clareza dos objetivos do setor pesquisado, fragmentação do trabalho, excesso de trabalho, desorganização e direcionamento do trabalho ineficiente. No que concerne ao desgaste nas relações sócio-profissionais os principais problemas identificados foram os desentendimentos nas equipes e a falta de integração/comunicação entre as áreas. As conseqüências desses problemas são: a indisposição para realizar as atividades, o comprometimento da saúde dos trabalhadores, a deficiência de circulação e mobilidade dos trabalhadores, a diminuição da capacidade de concentração, o desconforto e dores corporais durante todo o período de trabalho, a produtividade comprometida e a dificuldade na realização do trabalho.
 
 
CONCLUSÃO:
A pesquisa possibilitou a produção de um diagnóstico dos principais indicadores críticos no setor de comunicação da organização universitária estudada. Os resultados forneceram pistas empíricas indicando que a unidade organizacional estudada apresenta problemas em três dimensões principais: a organização do trabalho, as condições de trabalho e as relações sócio-profissionais no trabalho. A pesquisa contribuiu com a gestão organizacional ao apontar um conjunto de recomendações técnicas que visaram atenuar os indicadores críticos constatados e priorizar a Qualidade de Vida no Trabalho dos servidores investigados. A pesquisa mostrou, ainda, a validade do uso da técnica “Grupo Focal” como instrumento diagnóstico em Ergonomia da Atividade Aplicada à Qualidade de Vida no Trabalho.
 
 
Palavras-chave: Ergonomia da Atividade, grupo focal, comunicação social.
Um valor é necessário.
E receba nossas noticias, avisos
e informativos por e-mail
Um valor é necessário.
Um valor é necessário.
Um valor é necessário.Um valor é necessário.
Um valor é necessário.Um valor é necessário.
Incluir Remover